Minha experiência na França - Junho 2016

Todo mês, trazemos a historia de alguém que teve uma experiência na França, um jeito de mostrar as pluraridades de vivências que o nosso país pode oferecer.

Inspirem-se, aprendem francês e viajem pra França.

-  «Paula Frassini Carvalho de Queiroz : Foi na Guiana Francesa que aprendi que existe uma outra face da França desconhecida pela maioria das pessoas e que é fascinante de ser vivenciada.»

JPEG

Nome : Paula Frassini Carvalho de Queiroz

Idade : 26 anos

Cidade na qual ficou na França / e em que ano?
Eu fiquei no território ultramarino da França: a Guiana Francesa, na cidade de Cayenne, entre 2014 e 2015.

Qual foi o contexto dessa estadia na França?
Minha ida à Guiana Francesa se deu graças ao programa de assistente de língua estrangeira oferecido pelo governo francês. Minha função nesse programa era de ensinar a língua portuguesa e a cultura brasileira num Lycée guianês.

Porque você decidiu aprender o francês?
Meu interesse pela língua francesa vem desde a época do ensino médio, quando um amigo me sugeriu assistir ao filme “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain” e eu fiquei encantada pelos lugares, pelas pessoas, pelas imagens e, principalmente, pela sonoridade da língua francesa. Na época, eu estava prestes a fazer o vestibular para o curso de Letras em língua portuguesa e decidi estudar também o francês.

Qual foi a sua primeira impressão quando chegou na França?
O primeiro choque cultural que tive aconteceu imediatamente quando desembarquei. Assim que cheguei no saguão de entrada do aeroporto havia em torno de uns 50 a 60 militares, todos fardados e organizando suas malas. Eles vinham da França metrópole para trabalhar na base espacial da Guiana Francesa. Essa primeira imagem que tive foi bastante impactante, pois pude perceber a dimensão da importância e influência que o centro espacial e, por consequência, os militares tinham naquela região.

Conte uma lembrança marcante da sua estadia na França
Claro que existem várias lembranças que eu gostaria de contar, mas as mais importantes, aquelas que eu levo sempre na memória, foram quando eu acampei em plena floresta amazônica, quando eu vi, pela primeira vez, o lançamento de um foguete e quando conheci e aprendi as danças típicas do carnaval guianês.

JPEG - 97.3 KB
Carnaval na Guiana Francesa

Hoje, e desde que voltou de lá, qual é a sua relação com a França?
Tenho uma relação de amizade e, sobretudo, de muito carinho e respeito por essa região. Foi na Guiana Francesa que aprendi que existe uma outra face da França desconhecida pela maioria das pessoas e que é fascinante de ser vivenciada.

Que impacto essa estadia teve na sua vida?
Ela me permitiu um amadurecimento profissional e pessoal. Me fez perceber que as diferenças existem para nos inquietar, nos fazer refletir e nos mostrar infinitas possibilidades. A partir da diversidade cultural da Guiana Francesa e das experiências que vivi através dela, pude compreender melhor meu país e minha cidade.

O que você faz hoje?
Atualmente trabalho como professora de francês no projeto “Les Crabes”, da comunidade Caranguejo Tabaiares, no Recife.

Cite 3 palavras que descrevem a sua experiência no país
Língua, diversão e fraternidade.

Cite 3 palavras que resumem o país a seu ver
Diversidade, natureza e cultura.

JPEG

publicado em 29/06/2016

Topo de página